[ editar artigo]

Acompanhamento de mobilizados: o desafio do amadurecimento vocacional

Acompanhamento de mobilizados: o desafio do amadurecimento vocacional

Despertar vocacionados a se envolver com missão de Deus consiste em um desafio frente a sociedade atual que exige dos jovens cristãos em vários sentidos, e que os fazem buscar as coisas deste mundo, se desconectando da fonte de vida que o Senhor Jesus. Uma vida com sentido, é uma vida que glorifica ao Deus da Missão. E essa consciência que precisa ser despertada na juventude cristã brasileira. Nós, que temos atuado com mobilização missionária, temos um papel nisso. E é sobre isso que gostaria de estar compartilhando neste presente texto.

Tendo em mente que compreender sobre sua vocação e buscar viver de modo digno da vocação com que fostes chamados (Efésios 4.1) é algo que precisa ser buscado intencionalmente pela jovens cristãos, partimos da seguinte compreensão: existe um papel a ser exercido por cada um de nós na missão de Deus. O que precisamos é buscar compreender qual é o nosso lugar na missão dEle. Sempre digo que não há como nos envolvermos com aquilo que não sabemos que existe. Logo, é fundamental proporcionar ao jovem que está dentro da igreja um ambiente onde ele possa ter contato com as mais diversas possibilidades de envolvimento com o que Deus está fazendo no mundo. Nós, como mobilizadores, devemos buscar construir esses espaços para que os “não mobilizados” possam se conectar com a missão de Deus.

Além disso, é imprescindível que haja uma busca intencional em Deus para compreender o que Ele quer de nós. Portanto, precisamos incentivar que os jovens busquem em Deus o direcionamento que precisam. Deus pode não mostrar o caminho completo, mas Ele nos mostra o próximo passo. E para isso, é necessário investir no relacionamento íntimo com Ele.

Até aqui, tenho falado sobre despertamento vocacional, e apontado para o papel que nós temos, como mobilizadores. Mas gostaria de enfatizar nesse texto sobre o caminho a ser percorrido até que os mobilizados sejam enviados. Nesse caso, estou falando especificamente dos vocacionados para o campo transcultural. Para esses, o caminho de amadurecimento vocacional exige um acompanhamento para que esse mobilizado não se perca no caminho. Pensemos em uma “incubadora”, que é um ambiente propício para que aquele bebê consiga estar preparado para os desafios do mundo aqui fora. Da mesma forma, é importante que os mobilizados possam ter a possibilidade de serem acompanhados e assim, consigam se ver preparados para exercer aquilo que Deus os chamou.

Frente a esse desafio, é importante compreender que a igreja local pode ter dificuldades para lidar com diferentes vocações, por exigir conhecimentos específicos. Nesse sentido, buscar meios que possibilitem essa interlocução com diferentes contextos de atuação facilite esse trabalho de acompanhamento vocacional. Tendo em vista esse desafio, o Movimento Vocare tem se proposto auxiliar as igrejas locais nesse acompanhamento por meio da Trilha do Vocacionado. Durante esse tempo de existência do Movimento Vocare foi possível desenvolver ferramentas com o objetivo de possibilitar que o jovem se conecte com a sua vocação. E a Trilha do Vocacionado tem como proposta sistematizar essas ferramentas, de forma que possa ser aplicada em qualquer igreja local, e assim, seja possível realizar um acompanhamento dos vocacionados.  

Por meio da Trilha do Vocacionado busca-se possibilitar ao jovem esse despertamento e amadurecimento vocacional, de modo que ele compreenda de que forma ele pode exercer a sua vocação e dar os próximos passos. Trabalha-se alguns pontos fundamentais nesse processo de amadurecimento vocacional como: oração, experiência em um contexto transcultural, trocas de experiências com pessoas que já tenham vivências em campo transcultural, oportunidades de serviço dentro de alguma agência missionária, e a possibilidade de dar o próximo passo para o preparo, como cursos específicos, treinamento missionário, etc.

Busca-se, portanto, construir um passo-a-passo para que os jovens das igrejas locais possam estar em contato com possibilidades de engajamento na Missão de Deus, e assim, possam dar seguimento no preparo para exercerem as suas vocações. O ambiente que o Vocare propõe através da Trilha do Vocacionado traz as inúmeras possibilidades por ser uma iniciativa da AMTB (Associação de Missões Transculturais Brasileira) que reúne mais de 90 organizações missionárias e por isso, proporciona uma diversidade de oportunidades em diferentes contextos para que os jovens se conectem.

Enquanto mobilizadores, é importante que possamos buscar construir espaços para que os mobilizados não só sejam despertados, mas que possam ser preparados para serem enviados. Esse caminho a ser percorrido até o envio é desafiador para a igreja, portanto, o nosso papel é facilitar para que os vocacionados possam ser acompanhados e assim, possam estar maduros e preparados para serem enviados até os confins da terra, para que todos os povos O conheçam.

Ainda há mais questões a serem discutidas no que diz respeito ao acompanhamento de vocacionados. Retomarei esse assunto, a fim de que possamos aprofundar essa temática.

Mobilização

Projeto Mazi
Suzy Lopes
Suzy Lopes Seguir

Mobilizadora da Missão BASE e AMTB (Associação de Missões Transculturais Brasileira). Coordenadora de Mobilização do Movimento Vocare.

Ler conteúdo completo
Indicados para você