[ editar artigo]

POR UMA AÇÃO MISSIONÁRIA INTENCIONAL, BÍBLICA E RELEVANTE

POR UMA AÇÃO MISSIONÁRIA INTENCIONAL, BÍBLICA E RELEVANTE

Deus realizava milagres extraordinários pelas mãos de Paulo, a tal ponto que pegavam lenços e aventais usados por Paulo para colocá-los sobre os doentes, e estes eram libertados de suas doenças e os espíritos maus eram afastados. Alguns exorcistas judeus itinerantes começaram a invocar o nome do Senhor Jesus sobre aqueles que tinham espíritos maus. E diziam: “Eu esconjuro vocês por este Jesus que Paulo está pregando.” Os que faziam isso eram os sete filhos de Ceva, um sumo sacerdote judeu. Mas o espírito mau reagiu, dizendo: “Eu conheço Jesus e sei quem é Paulo; mas quem são vocês?” E o homem que estava possesso do espírito mau pulou sobre eles com tanta violência, que tiveram de fugir daquela casa, sem roupas e cobertos de ferimentos. E toda a população de Éfeso, judeus e gregos, ficou sabendo do fato. O temor se apossou de todos. E a grandeza do nome de Jesus era exaltada. Muitos fiéis acorriam para acusar-se em voz alta de suas práticas mágicas,  e um bom número dos que praticavam magia amontoaram seus livros e os queimaram em praça pública. O valor desses livros foi calculado em cinquenta mil moedas de prata. Assim, a Palavra do Senhor crescia e se firmava com grande poder. Atos19.11-20[i]

O texto acima narra à terceira viagem missionária do apostolo Paulo. Lucas trás riquezas de detalhes que vale a pena refletirmos sobre a intencionalidade, relevância e centralidade bíblica de muitos movimentos que temos visto no cenário missionário dos nossos dias. Refletindo sobre o background[ii] histórico, cultural e religioso que de certa forma nos ajudarão a compreender elementos que foram expostos no texto Lucano. A cidade de Éfeso[iii] Tinha cerca de 250.000 habitantes no século I e fica na costa da Turquia no mar mediterrâneo. Vejamos algumas características do cenário religioso de Éfeso nos dias de Paulo, que no ajudam a refletir sobre as dimensões de seus desafios na missão:

  • Controladores e manipuladores de espíritos malignos;
  • Praticantes de magia;
  • Encantadores;
  • Muitos deuses (politeísmo);
  • Culto a Artêmis (Diana), sendo que o seu templo é considerado uma das sete maravilhas do mundo antigo. 130 metros de comprimento e 67 metros de largura, com 127 colunas de marfim branco com 19 metros de altura cada uma.[iv]

O texto nos mostra caminhos bíblicos para uma ação missionária legítima e avivamento genuíno, mas também, mostra-nos descaminhos para um movimento anti-bíblico, mercantilista e apostata. Vejamos algumas reflexões:

1. O MISSIONÁRIO É APENAS UM VEÍCULO PARA OS MILAGRES DE DEUS E NUNCA UM CARRO-CHEFE NO PROPÓSITO DIVINO.

Deus realizava milagres extraordinários pelas mãos de Paulo, (v.11)

Em nenhum momento, Paulo apoiou movimentos de glorificação do seu nome. É interessante o que Wiersbe nos fala sobre esta passagem:

“Ao longo da história bíblica, encontramos três períodos especiais de milagres: (1) o tempo de Moisés; (2) o tempo de Elias e Eliseu; e (3) o tempo de Jesus e seus apóstolos. Cada um destes períodos durou menos de cem anos, e é evidente que nem todos os milagres foram registrados (ver Jo 20.30,31). Quando Jesus operava milagres, costumava ter em mente pelo menos três propósitos: (1) demonstrar sua compaixão e suprir necessidades humanas; (2) ensinar uma verdade espiritual; (3) mostrar que era, de fato, o Messias. Os apóstolos seguiam as mesmas diretrizes.” WIERSBE, Warren W.[v]

O protagonismo na missão é toda de Deus. Os missionários devem ter o mesmo sentimento relatado na vida e obra de homens como, por exemplo, Sadhu Sundar Singh[vi], quando perguntaram para ele a seguinte questão: “Você é Jesus? Não sou apenas o jumentinho de Cristo e vou com Ele para onde ele quer ir.”[vii] A centralidade da missão passa por uma clara visão de que o missionário é e como Cristo é glorificado através de sua vida.

2. UMA AÇÃO MISSIONÁRIA CENTRADA EM CRISTO DESEMBOCA EM UM AVIVAMENTO BÍBLICO CONHECIDO NO CÉU, NA TERRA E NO INFERNO.

Mas o espírito mau reagiu, dizendo: «Eu conheço Jesus e sei quem é Paulo; mas quem são vocês? E o homem que estava possesso do espírito mau pulou sobre eles com tanta violência, que tiveram de fugir daquela casa, sem roupas e cobertos de feri mentos. (vv.15-16)

O texto expõe o fato de que até os demônios sabem se nossa missão é autêntica e para a glória de Deus, ou se ela é apenas para beneficio próprio como a busca por algum tipo de reconhecimento humano temporal e egocêntrico. Não adianta falar em nome de Deus, se nossas vidas não são espelhos de seu amor e graça.

Tenho aprendido que missões são:

  • Um ato de obediência. Como disse Oswald Smith [viii]: “Se Deus quer a evangelização do mundo, mas te recusas a sustentar missões, então te opões à vontade de Deus.”
  • Um ato de amor. A forma como Jesus se revela em amor através de sua obra redentiva é um modelo que deve inspirar a caminhada de uma ação missionária centrada em Jesus.
  • Um ato de fé. William Cameron Towsend[ix] ao ouvir na Guatemala a seguinte questão: “Se teu Deus é tão Inteligente assim, porque não fala comigo na minha língua?” Essa foi a pergunta que William Cameron Townsend ouviu ao chegar ao povo cakchiquel com suas Bíblias escritas em castelhano para evangelizá-los em 1917. Isto o compeliu para um movimento de tradução que trouxe inúmeras contribuições para gerações seguintes, desencadeando um legado relevante nas traduções bíblicas pautadas em uma fé inabalável de traduzir as escrituras para línguas onde ela não havia chegado.  

3. UMA AÇÃO MISSIONÁRIA CENTRADA EM CRISTO LEVA-NOS A UMA EXPOSIÇÃO INTEGRAL E PÚBLICA DA VERDADE BÍBLICA.

E toda a população de Éfeso, judeus e gregos, ficou sabendo do fato. O temor se apossou de todos. E a grandeza do nome de Jesus era exaltada. Muitos fiéis acorriam para acusar-se em voz alta de suas práticas mágicas. (v.17-18)

Tal atitude fragiliza e derruba estruturas pecaminosas em uma sociedade, ao ponto da atitude da ação missionária de Paulo centrada na pessoa de Cristo levar à população de Éfeso a consciência do engano. Quando a população ficou sabendo do evento ocorrido com uma conhecida família de exorcistas profissionais, e como o engano foi desmascarado, a verdade foi promovida.

4. ALGUMAS MARCAS BÍBLICAS QUE CARACTERIZAM UMA AÇÃO MISSIONÁRIA RELEVANTE E CRISTOCÊNTRICA, CARACTERIZADA NO EXEMPLO DE PAULO EM ÉFESO:

e um bom número dos que praticavam magia amontoaram seus livros e os queimaram em praça pública. O valor desses livros foi calculado em cinquenta mil moedas de prata. Assim, a Palavra do Senhor crescia e se firmava com grande poder. (vv.19-20)

  • Ocorreu quebrantamento coletivo em várias alas da sociedade.
  • O nome de Jesus foi exaltado.
  • Ocorreu arrependimento e retratação pública de pecados. Os livros[x] queimados e ídolos destruídos valiam 50.000 moedas de pratas. Uma moeda de prata era 1 dracma, que equivalia a um dia de trabalho. Se fizermos o seguinte cálculo: 365 dracmas divididos por 50.000 dar o resultado 137 anos de trabalho, ou seja, o valor dos livros de feitiçaria destruídos em um câmbio para os dias de hoje equivaleria em cerca de 5 milhões de reais aproximadamente.
  •  “A palavra de Deus crescia”, isto implica dizer: Pregação bíblica, discipulado maduro e saudável para a glória de Deus. Éfeso se tornou o 3º principal polo do cristianismo no mundo naquela época depois de Jerusalém e Antioquia.

CONCLUSÃO

O mundo ainda tem milhões de pessoas sem nenhum versículo da palavra em sua língua materna por exemplo. Ações missionárias não podem ser embasadas em uma espécie de protagonismo pessoal que usurpe a glória de Deus para benefícios pessoais de posição, ou qualquer outra coisa que queira roubar a glória de Cristo na missão. Que Deus nos ajude a sondar nossos corações diariamente, pois como disse Calvino: “O coração humano é uma fábrica de ídolos”[xi], portanto, nossas ações missionárias para serem intencionais e relevantes devem estar centradas na pessoa do Cristo revelado nas escrituras.

Que Deus nos ajude no exercício diário de pautar nossa conduta nos valores de sua Palavra. Somente a Ele, a glória!


[i] Bíblia Sagrada Edição Pastoral. Paulus, São Paulo: 1990.
[ii] “Pano de fundo” = Características que caracterizavam a cidade de Éfeso naquele momento da história.
[iii] Essa cidade foi fundada no século 10 a.c. por colonos gregos jônicos, no mesmo local da capital anterior de Arzaua. A cidade floresceu em 129 a.c. e foi a segunda maior cidade do Império Romano atrás de Roma que é a capital do império. No século 1 A.C. a sua população era 250,000, habitantes, por isso ela também estava a segunda maior cidade do mundo nessa época segundo a população. Fonte: https://br.memphistours.com/Turquia/Guia-de-viagem/efeso-turquia-pontos-de-interesse/wiki/Efeso-Turquia
[iv] KEENER, Craig S. Comentário Histórico-Cultural da Bíblia. pp. 456-457, São Paulo: Vida Nova, 2017
[v] WIERSBE, Warren W. Comentário Bíblico Expositivo: Novo Testamento Volume I. p.624, Santo André-SP: Geográfica Editora, 2006.
[vi] Sadhu Sundar Singh foi um missionário cristão indiano. Antes de se converter ele era hindu desde pequeno, aprendeu muito cedo os ensinamentos sobre o hinduísmo. Quando se tornou cristão acabou sendo rejeito pela a própria família. Em 16 de outubro de 1905, Sundar vestia um manto amarelo, e andava descalço sem aprovisionamentos, retomou sua vida perambulante de aldeia em aldeia, desta vez, seguindo os passos de Jesus.
[vii] BENGE, Janete & BENGE, Geoff. Sundar Singh: Pegadas nas montanhas. São Paulo: Shedd Publicações, 2020.
[viii] Ministro do Evangelho Canandense Oswald Jeffray Smith (1890-1986) converteu-se a Cristo com dezesseis anos ao ouvir o famoso evangelista R. A. Torrey. Preparou-se para o ministério e foi ordenado pastor presbiteriano. Teve relevante papel na mobilização missionária da Igreja no Canadá e América.
[ix] https://wycliffe.org.br/william-townsend-o-gigante-humilde-do-senhor/
[x] Rolos de pergaminhos de feitiçaria, pois Éfeso era conhecida como a cidade dos livros das artes mágicas.
[xi] http://www.monergismo.com/textos/pecado_tentacao/idolatria_mahaney.htm

Projeto Mazi
Charles dos Santos Silva
Charles dos Santos Silva Seguir

Charles Santos é missionário da MIAF (Missão para o Interior da África). Está em processo de retorno para Moçambique na África trabalhando nas áreas de Educação Teológica, discipulado, suporte a igrejas locais e treinamento. (www.charlessantos.net)

Ler conteúdo completo
Indicados para você